Masturbação
24 jun 2020

Masturbação nela e no Poderoso em uma noite quente!

Não pensava que uma noite de masturbação mútua rendesse tanto prazer? Você vai se deliciar com a história de hoje do Poderoso!

Estava eu navegando, quando me deparei com um perfil de mulher que me chamou atenção. 30 anos, solteira, loira. Fotos de biquíni e um belo corpo que me agradou muito. Solicitei pra ver as fotos privadas pra ver o rosto, ela permitiu e a achei linda!

Não pensei duas vezes e cliquei no coração para curtir o perfil dela. Fiquei ansioso pela resposta que chegou dois dias depois. Nossos perfis combinaram e começamos a conversar.  

Não vou mentir que procuro por sexo casual, não fico só na masturbação, mas não deixo isso claramente visível na minha descrição do perfil, porque isso assusta algumas pessoas. Mas deixo claro que se for rolar algo mais sério, tem que valer muito a pena. E foi justamente isso que chamou muito a atenção dela.

Durante o bate papo, percebi que ela havia saído de um relacionamento a pouco tempo, e que trabalhava demais. Como sou bem direto e não sou de ficar pedindo foto ou tentando levar a conversa para um tom mais sexual, porque na verdade eu gosto é de fazer e não de perder tempo batendo papo, convidei-a para jantar. Marcamos então para o final da semana.

Como eu sempre quero transar, busco táticas para que as coisas fiquem mais fáceis e fluam naturalmente. Propus de ir buscá-la em casa, porém como a gente não se conhecia, ela achou melhor cada um ir com o seu carro, pois é complicado passar o endereço para uma pessoa estranha. A princípio minha tática fora por água abaixo. Mas, sou persistente e no dia marcado falei que meu carro havia quebrado e que eu teria que ir de Uber. E assim eu fiz.

 Nos encontramos no local e hora marcada. Ela veio toda linda, um vestido curto, salto e um perfume delicioso, realmente era muito bonita. A cumprimentei com um beijinho no rosto, agarrando em sua cintura, para que ela pudesse sentir minha pegada. Entramos no restaurante, nos sentamos e pedimos algo para beber, nada alcoólico. Tivemos um jantar agradável, um bom papo, algumas provocações de minha parte e uma boa comida. 

 Acabamos ficando ali por algumas horas. Quando terminamos, paguei o jantar e louco para transar com ela, ofereci de leva-la até o carro, claro que com segundas intenções, pois eu queria era uma carona. Abracei ela e fomos caminhando até onde o carro estava estacionado. Quando chegamos no carro eu fui me despedir dela e a encostei na porta do carro, tentei dar-lhe um beijo, mas ela estava arredia. Então não forcei a barra e disse que ia pedir o Uber para poder ir embora. Nessa hora ela teve a brilhante ideia de me oferecer uma carona. Pronto, havia conseguido o que eu queria.

Entramos no carro, ela no banco do motorista e eu no banco do passageiro. Antes dela dar a partida no carro, eu roubei um beijo dela. Um beijo demorado, fui passando minha mão no seu pescoço, nas orelhas por baixo do cabelo, dando aquela mordidinha na boca dela. Com a outra mão, fui apertando sua cintura, mostrando a ela que ali tinha um homem de pegada.

No final do primeiro beijo, ela já estava ofegante.  Já emendei outro beijo, minha boca escorregava pelo seu pescoço enquanto minhas mãos passeavam pelo corpo dela, deixando a com muito tesão. Como ela estava de vestido, minha mão desceu para as pernas dela, subindo descendo, apertava suas coxas e ia um pouco mais além. Fazia com que meus dedos tocassem de leve sua buceta. Fazia esse movimento e ela começou a se contorcer nos meus braços de tanto tesão.

As mãos dela que acariciavam o meu rosto, começaram a descer pelo meu peito. Até que eu forcei o braço dela com o meu, empurrando o para baixo, para que ela sentisse o volume que estava na minha calça. Meu pau latejava de tanto tesão e vontade de transar com aquela loira linda e gostosa. Quando ela sentiu, foi à loucura. Eu não resisti e passei a mão com força na buceta dela, que mesmo por cima da calcinha deu pra sentir o quanto ela estava molhada. Recorri às minhas habilidades com masturbação.

Comecei então a massagear forte com meu dedo, entrava em sua buceta junto com a calcinha. Ela gemia de tesão, até que não resisti e puxei a calcinha de lado, toda lisinha, enfiei logo dois dedos de uma só vez, estava toda lambuzada, que delícia, imaginei meu pau escorregando para dentro.

Mas, ela pisou no freio e tirou minha mão.  Falou que a gente tinha que resistir e deu partida no carro, dizendo que ia me levar embora. Eu concordei, ela deu a partida e saímos com o carro. Andamos uns 200 metros e minha mão já foi novamente para as pernas dela. Eu não podia a deixar ir embora antes de meter com ela.  Não demorou muito e eu estava socando novamente o dedo dentro da buceta dela. 

Ela tentava se concentrar no volante, mas era praticamente impossível.  O carro ia a 20km por hora, quase parando.  Ela toda molhada ia se contorcendo, segurando firme no volante com as duas mãos. Para provocá-la ainda mais, eu abri a minha calça e tirei meu pau para fora. Com uma mão eu masturbava ela e com a outra eu me masturbava. Quando ela precisou trocar a marcha do carro, eu peguei a mão dela e coloquei no meu pau que pulsava de tesão. Ela sentiu toda aquela rigidez e não resistiu, me punhetou umas 3 vezes e voltou com as duas mãos no volante.

Eu continuei esfregando meu dedo bem firme no grelo dela, e às vezes enfiava dentro da sua buceta para molhar e o dedo e deslizar mais fácil.  Não aguentando mais, ela estacionou o carro e não se segurou, gozou gostoso. O tesão era tanto que ela esguichou tudo no banco, que ficou todo molhado com aquele gozo.  Ela relaxou e eu pensei que ela ia vir matar o meu tesão, mas não, deu a partida no carro e seguiu até minha casa.

Meu tesão estava a mil, tirei o pau para fora e trouxe a mão dela para começar a masturbação. Ela me punhetava um pouco e já tirava a mão. Então eu mesmo batia punheta bem gostoso pra ela ver e ficar com tesão. Como tínhamos que pegar um pedaço de rodovia, por precaução, guardei meu pau duro. Ela olhou e não disse nada.  Chegamos na porta de casa, eu decepcionado por não transar aquela noite, fui me despedir e para minha sorte ela falou que eu merecia gozar também.

Eu fiquei louco quando ouvi aquilo, meu pau começou a se animar novamente, mas ela disse que iria fazer somente o que havia feito nela, ia me masturbar e nada além daquilo. Ela veio abriu a minha calça, tirou o meu pau para fora começou devagarzinho, subindo e descendo, chegou com a boca bem pertinho, molhou meu pau com sua saliva para escorregar mais gostoso. Olhou no fundo dos meus olhos e disse o que estava louca para sentar no meu pau, mas que não ia fazer isso no primeiro encontro. Dizia que meu pau era o mais lindo que ela tinha visto, que era grande e grosso.  Toda hora ela molhava meu pau com sua saliva e a intensidade foi aumentando. 

Eu inclinei o banco do carro e deixei minha imaginação fluir. Enquanto a masturbação rolava imagina que ela estava sentada ali, cavalgando enquanto segurava seus peitos.  Ela parecia que estava entendendo e me punhetava cada vez mais forte, que eu não suportei mais e acabei gozando. A vontade de transar com ela era tanta que a porra voou longe, foi parar em cima dos peitos dela, na cara, no cabelo, sujou o painel do carro e o banco. O tesão foi tanto que quem se contorcia agora era eu.

Ainda bem que ela tinha um lenço umedecido no carro e pudemos limpar tudo. Me recompus, demos um beijo de boa noite e foi cada um para sua casa dormir, bem relaxados depois de gozarmos gostoso. Foi uma experiência e tanto. Os melhores momentos de masturbação que já tive!

E você, em que pensa na hora da masturbação? Conta pra gente 🙂

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *