Marido Voyeur
1 set 2020

Marido voyeur: ficou assistindo ela comigo

Um seguidor do nosso Instagram, que também usa o ysos nos mandou um relato de uma experiência inusitada que já teve com casal que conheceu no app em que o marido voyeur tinha outros motivos para não participar.

“Estava trabalhando e algumas vezes dando uma olhada no app do ysos, quando, do nada, um perfil solicitou para olhar minhas fotos privadas. Na mesma hora liberei e pedi pra ver as deles. De cara já adorei as imagens e o perfil, que me mandou mensagem segundos depois. Curti de volta, o app abriu a conversar e o rapaz super educado, depois de alguns minutos me disse que sofreu uma cirurgia de fimose e estava impossibilitado de fazer sexo.

Fiquei curioso e ele disse que mostrou minhas fotos para sua parceira, que ela gostou e que me queria, então, lançou uma pergunta super direta, se eu convidar você para vir até minha casa e bebermos uma cerveja/vinho você viria?

Mas tem que ser hoje? Achei estranho, mas a espontaneidade da conversa estava me deixando mais excitado. Pensei por alguns minutos, perguntei onde moravam e também se realmente a mulher dele viu as minhas fotos e se de fato ela gostou da minha pessoa, porque acredito que ambos gostarem é essencial, não somente o parceiro etc…

Eles moram próximo e dava uns 25 minutos de carro, numa cidade vizinha. Decidi aceitar o convite, pois não tinha nenhum compromisso. Marcamos para às 20h30 na casa deles e eu me comprometi a levar a cerveja e o vinho.

Até a chegada no portão da residência confesso que estava muito ansioso pelo fato da conversa ter sido no mesmo dia e espontânea. Mas, também, estava muito excitado por todo aquele começo de história, cheguei no horário, pois sou muito pontual, avisei pelo app a minha chegada e ele me recebeu no portão super educado e sorridente.

Isso quebrou o gelo na hora me deixando mais confortável. Entreguei a bebida para ele que me convidou até a sua sala. Ela ainda não estava, sentamos, e ele me disse que ela estava se arrumando, já estava completamente excitado pensando nela e como chegaria na sala. Não estava tão frio e estávamos mais à vontade com poucas roupas, bebendo cerveja e nos conhecendo melhor.

Finalmente ela chegou, entrando na sala com um vestido de tubinho preto. Morena, de salto, um corpo fantástico e o cabelo solto, nossa o cabelo dela é lindo e cheiroso, sentia de longe aquele cheiro. Nos cumprimentamos, ela muito sorridente também e ao abraçá-la notei que estava tremendo , devia estar um pouco ansiosa, assim como todos nós.

Mas, eis o que me levou a contar esta história, quando começamos a conversar parecia que nos conhecíamos, o assunto fluía com facilidade e começamos a trocar experiências, enfim, rolou uma química diferente de todos os casais com que já sai e foram maravilhosos também. Em nossas conversas eu sempre acariciando ela com seu consentimento e o do marido.

Ela já estava em sua terceira taça de vinho, o cuckold sentado na poltrona e eu no mesmo sofá que ela acariciando seu pescoço e cabelo, quando do nada ela se levantou e sentou de frente no meu colo eu que já estava excitado fiquei uma rocha, nos beijamos muito, muito mesmo.

Acariciava muito o corpo dela sem remover o vestido, pois ainda não era a hora, ela se levantou passou a mão na minha barba olhou para o marido dela e disse que iria para o quarto e que não era para demorarmos. Fomos ao quarto minutos depois e lá estava ela deitada na cama com uma lingerie branca que deixava seu corpo ainda mais sensual e excitante.

Ela pediu para o marido sentar em uma cadeira no pé da cama e ele foi sem questionar e isso me deixou mais excitado do que já estava. Ela ficou de joelhos na cama, ficamos nos beijando e ela começou a me despir me acariciando com as unhas e lambendo meu corpo, eu sempre tocando sua cintura, seios, pescoço e cabelo.

Ela desceu da cama e se ajoelhou começando a me masturbar
olhando para o marido e para mim simultaneamente, ela tinha uma cara de safada de que gostava demais de estar naquela situação, delícia, ela me chupava muito e me masturbava com intensidade parecia que queria receber meu leitinho no rosto. Então, ela parou, se levantou e se virou de costas, comecei a beijar e lamber o corpo dela, sempre dando leves
assopradas entre beijos e lambidas, sempre tocando o corpo dela com intensidade e desejo.

Decidi remover seu sutiã e pedi para ela se deitar e com meu cinto amarrei as sua mãos, chamei o marido dela e pedi para ele sentar na cama para ela deitar com a cabeça no colo dele e segurar o cinto enquanto eu lambia e beijava seu corpo inteiro da boca até os pés, ela gemia muito e sempre muito ofegante, só depois de lamber seu corpo todo removi sua calcinha e comecei a fazer sexo oral nela.

Comecei lambendo em volta da bucetinha, cuzinho, virilha e depois fui para os lábios até chegar no clitóris com língua e dedo, ela se contorcia e não conseguia mexer os braços, pois estava amarrada, ela gemia demais, estava adorando estar naquela posição, levantava seu quadril mostrando que estava gostando e querendo mais, sua respiração forte e muito ofegante aumentaram até que ela solta um grito, ela gozou jorrando líquido e tremendo de tesão implorava para ser penetrada, pedia muito meu pau.

Voltei a beijá-la e acariciar seu corpo, meu pinto estava uma rocha. Soltei-a. Ela me deitou na cama e começou a chupar meu pau de quatro, então amarrei ela novamente deixado ela mais excitada, ela olhou para o marido e pediu para ele bater na bunda dela com outro cinto. Nossa, que tesão foi aquilo, ela amarrada me chupando e apanhando na bunda do marido cuckold!

Depois disso ela pediu para sentar em cima de mim, coloquei a camisinha e ela sentou me abraçando muito forte e rebolando devagar, aumentamos a intensidade aos poucos, mudamos para a posição tesoura onde ela gozou novamente, gritando muito e tremendo e o marido vendo aquilo sem
poder participar. Fomos para o canguru e acabei gozando muito, não resisti as suas reboladas deliciosas, ela falava muita coisa pervertida no meu ouvido e acabei gozando muito.

Tomamos banho juntos enquanto o marido dela nos olhava, terminando fomos para a sala, onde começamos a nos tocar novamente, chupei ela mais uma vez e ela se levantou e virou de quatro, pediu para ser amarrada com o cinto novamente e pediu para eu socar com força nela, o pedido dela era uma ordem, eu com uma mão segurando o cinto e com a outra segurando a
sua cintura socando muito forte nela, ela gemia, gritava e empurrava mais o seu quadril para trás, olhava para mim com uma carinha de safada e falava para ir mais rápido e mais forte, até que ela me deu o sinal que iria gozar e gozamos juntos, foi uma explosão de gemidos, foi intenso e maravilhoso.

Ela virou de frente e me beijou, removeu a camisinha e começou a lamber meu pau falando que queria me dar banho novamente, eu olhei para o marido dela e ele falou que eu poderia fazer o que quisesse… Após o banho, sentamos na sala para conversarmos novamente, depois de
algumas bebidas e trocas de carícias ela deita no sofá e fala para eu me masturbar e gozar em cima dela, ela queria ficar me olhando, claro, outro pedido que era uma ordem.

Me masturbei com ela tocando meu saco e pedindo meu leitinho, gozei em pouco tempo, enchendo sua boca de porra e vendo ela engolir tudo, na mesma hora dei um belo beijo nela, nos abraçamos e fomos tomar banho novamente.

Na hora de ir embora, agradeci o convite e a companhia. Eles me disseram que amaram minha visita e que poderíamos repetir de formas diferentes, apenas pisquei e disse, até uma próxima.

Enfim, pela espontaneidade e pelo fato do marido dela não participar e ficar sendo torturado nos olhando eu quis compartilhar esta nova experiência com vocês, pois todos encontros que eu vou o marido também participa. Espero que gostem!”

E você, já teve experiências com casais em que o marido é voyeur ou faz papel de voyeur? Conte pra nós aqui nos comentários!

Quer conhecer singles como o que nos contou a história ou casais como o que saiu com ele? Baixe o ysos agora mesmo!

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *