Cuckold: Cornos e suas mulheres
22 mar 2019

Cornos e suas mulheres: tabus sobre cuckold

Os cornos e suas mulheres são incompreendidos!

Mesmo sendo um fetiche muito comum, ainda há muito preconceito com os casais cuckold.

Nesse post vamos falar sobre algumas modalidades de maridos (existem inúmeras) que curtem ser cornos e se divertem muito com suas esposas nesse fetiche!

Os cornos voyeurs

“Adoro quando o corno fica olhando e se masturbando enquanto eu possuo sua mulher” (anderson3838)*

Assistir à uma boa transa pode ser tão bom quanto participar efetivamente dela.

Para esses maridos, a excitação se cumpre ao assistir sua amada sendo saciada e dando prazer para outro homem ou mulher.

Os casais cuckold voyeurs escolhem juntos, na maioria das vezes, o parceiro ou a parceira com quem querem se divertir.

É uma responsabilidade muito grande entrar na relação de um casal para lhes dar prazer.

Por isso, a escolha é feita mediante conversa e investigação se a pessoa entende as regras do casal e se tem experiência ou está apta a sair com eles.

Cada casal tem seus gostos e premissas. Não chegue acreditando que você vai mandar em tudo e todos.

Então se você quer ser escolhido(a) por um casal cuckold, mantenha seu perfil bem preenchido!

Descreva bem suas habilidades na cama e o que você curte também para que eles se interessem em conversar contigo.

Por fim, lembre-se que discrição é algo valioso e que “quem come quieto, come sempre”. Não vacile com o casal e nem os exponha de nenhuma forma.

Os que também querem participar

“Uma vez saí com um casal e o cara gostou tanto de ver a mulher levando rola que também quis levar. No final, quando gozei na boca dela, ele se apressou em beijá-la. E isso me deu muito tesão” (amantevorazac)*

Alguns maridos acabam participando de diferentes jeitos.

Lembre-se sempre que tudo pode ser combinado antes de acordo com as regras do casal e que algumas situações podem aparecer também.

Nessas situações sinta-se à vontade para conversar e colocar o seu ponto.

Afinal de contas, nem todo homem que sai com casal curte que o ménage seja bi.

Um lembrete importante é que você não precisa se limitar e nem ter medo de se entregar ao prazer com o casal.

Alguns homens têm medo da participação dos maridos achando que isso afeta sua sexualidade e uma coisa não está ligada à outra. Práticas sexuais não são movidas somente pela orientação sexual.

Então, é óbvio mas vamos dizer: Interagir com o marido não te torna homossexual nem bissexual. Se jogue, vá fundo! 😉

Os cornos que pedem pra saber

“Minha experiência foi ir na casa do casal e a esposa ligou para o marido no trabalho dele avisando que eu estava comendo ela. Foi muito bom! O tesão subiu quando ele pediu pra mim encher (sic) ela de porra” (loko88)*

Nem sempre os cuckolds estarão presentes fisicamente.

Mas quem falou que o corninho não pode estar em 2 lugares ao mesmo tempo?

É comum que alguns deles peçam para que elas liguem, filmem e mandem pelo whatsapp ou que transmitam por vídeo para ele assistir de longe.

Enfim, eles gostam de saber e acompanhar! Alguns até pedem presente para verem quando chegarem em casa (calcinha gozada, vídeos, fotos etc).

Os servidores

“O casal me pegou de carro no estacionamento de um shopping da cidade, marido foi dirigindo e eu e a esposa no banco de trás fazendo tudo que foi possível fazer ali dentro, isso com o carro andando pela cidade, parando em semáforos etc” (tardes_livresms)*

Esse tipo de corninho gosta de humilhações sexuais vindas da parceira.

Elas vão de citações sobre o tamanho do seu pênis às suas falhas na cama.

Em alguns casos até mesmo o garanhão que a está satisfazendo pode e deve humilhá-lo sexualmente.

Então se você cruzar com esse tipo de casal você tem chances de ter muitas aventuras tendo um corninho pra ser seu servo e servo dela.

Ele fará tudo que vocês pedirem e que possa satisfazê-la!

Tem dúvidas sobre cuckold ou quer nos contar como foram suas experiências com esse fetiche? Entre em contato conosco!

*clientes do sexlog.com que relataram suas experiências cuckold

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *