istolethetv on VisualHunt CC BY
9 mar 2020

cdzinha: As experiências de uma sissy nos dias de hoje

Equipe ysos: Quando e como você percebeu a sua vocação pra ser cdzinha?
R: Pra ser sincera, na adolescência. Eu nunca fui abusada, nasci numa boa família mas extremamente conservadora. Naquela época era bem difícil para um adolescente ter acesso a conteúdo adulto, um dia eu consegui uma revista adulta que basicamente era uma HQ contada em fotos de atores reais. Naquela em particular comecei, por algum motivo que eu desconheço, a me imaginar como estando na pele da mulher e isso me instigou e começou a me dar mais interesse a esta perspectiva. Daí pra frente a coisa evoluiu naturalmente rs.

Houve algum tipo de resistência de sua parte quando o interesse e os desejos começaram a aparecer?
R: Sim e acho que ainda há. Minha família é extremamente conservadora, então eu sempre tentei reprimir isso. Incontáveis vezes eu decidi jogar todas as roupas fora e em seguida me arrependia e comprava outras novas, tudo de novo. Isso sempre me incomodou. Graças aos movimentos de aceitação e empoderamento estou começando a me aceitar agora, você não sabe a paz que você consegue só por se aceitar.

Você publica/replica bastante conteúdo sobre CD/Sissy no seu twitter. Como surgiu a ideia de ter uma conta só para esse tipo de conteúdo?
R: Eu meio que sempre estive na internet, quando tive acesso a ela fui descobrindo novos conteúdos e com eles prazeres, vontades, fetiches… Acho que eu me dei conta dessa vertente sissy mais menininha no Tumblr, que parou de aceitar conteúdo adulto. Então eu migrei pro Twitter e encontrei uma comunidade lá, então eu meio que me juntei a eles. Eu nunca tive a pretensão, só me encontrei com pessoas com interesses semelhantes e os conteúdos me excitavam, então eu pensei: por que não? rsrs

Alguém sabe dessa sua persona? Como é isso pra você? É escondido? É aberto? Você tem quem te apóie abertamente nesse quesito?
R: Da minha família ninguém sabe, tem os homens que eventualmente saem comigo e acabam sabendo quem eu sou, mas tento escolhê-los muito bem, pra manter o sigilo, que é difícil na internet no geral. Fora isso, eu tento manter a minha persona feminina escondida até que eu queira mostrar pra alguém que se interesse por ela. Tenho uma vida como outra persona fora do meio sissy, então eu tento ser discreta, mas quem sabe quem sou (e são poucas pessoas) trocam idéia numa boa.

Para você é uma questão mais de identificação com o feminino e está ligado à questão de vestimenta e comportamento ou você também se relaciona sexualmente com homens?
R: Acho que me classifico como bissexual: como homem me atraio por mulheres e como mulher me atraio por homens. Sim, eu gosto de me comportar como uma mulher e me relaciono eventualmente com homens sim. Mas o lance com os homens envolve o carinho, as roupas femininas e a safadeza, tem que estar tudo presente, aí eu me sinto realmente realizada!

O que te dá mais tesão em sua vivência como cdzinha?
R: Me dá muito tesão saber que um homem tá excitado por minha causa… Que ele tá louco para me provar das mais diferentes formas, nossa isso aí.. não tem jeito, eu fico com tesão só de imaginar rsrs

Tem gente curiosa sobre o tema que entra em contato com você através das suas redes sociais?
R: Algumas vezes me parece que cdzinha é um nicho (talvez até seja mesmo, nunca parei para analisar de verdade, mas a comunidade tem aumentado bastante), e tem algumas pessoas que perguntam sobre sim, mas na real eu acho bem poucas, pelo menos pra mim. =(

Quais as perguntas mais comuns das pessoas quando você fala sobre cdzinha?
R: Com certeza como me descobri CD e o que é uma CD. Essas eu escuto muito mesmo. Dá vontade de escrever o texto e ficar copiando e colando. rsrs

Tem algum desejo seu como CD que você ainda gostaria de realizar? 
R: Ah com certeza sair na rua montada! Eu perdi a oportunidade nesse carnaval, provavelmente vou fazer isso no próximo! rsrs

Existem grupos onde CDs se reúnam ou troquem informações e dicas de segurança ou forneçam apoio emocional umas às outras em relação ao preconceito social sobre o tema?
R: Sim, diversos! Aqui no Rio tem até clubes com premiações e shows, e claro tem os grupos e fóruns LGBT espalhados pela web. A comunidade em geral é muito receptiva, então a troca de figurinhas acontece de forma bem natural, inclusive. =)

Qual a coisa mais inusitada que já te aconteceu como CD?
R: Acontece quase sempre de alguém que vê meus vídeos e fotos pela internet achar que sou mulher mesmo. É meio desconcertante ter que quebrar o barato do cara, mas é o preço que se paga pela honestidade rsrs

Você tem alguma dica para quem está percebendo que tem interesse em ser uma cdzinha ou pra quem já está começando?
R: Primeiro que não faça como eu e pense estar doente ou coisa pior. Você é um ser humano, a gente não sabe se vai ter outra vida, se você se sentir bem assim, é melhor se aceitar e aproveitar alguns momentos bons, quem sabe até com uma pessoa especial pra você, isso pode tornar tudo melhor ainda. Procure comprar suas próprias roupas, não roube as das mulheres (ou dos homens) da sua família, a não ser que tenha consentimento. =D

Quer encontrar cdzinhas incríveis? Baixe o ysos agora!

Tem dúvidas de como utilizar o ysos para se dar bem e ter encontros casuais com solteiras, solteiros, casais ou cdzinhas? Entre em contato conosco!

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *